ESPAÇO DEDICADO AO FADO E AOS AMANTES DO FADO SÁBADOS E DOMINGOS ENTRE AS 9 E AS 10 HORAS NA SESIMBRA FM 103.9 APRESENTAÇÃO DE ALBERTO SILVA Pode ouvir através da Internet www.radios.pt

08/04/2010

HOMENAGEM ÁS VARINAS DA MADRAGOA E Á MINHA AVÓ MARIA DO CÉU

A VARINA E O SEU FADO




Varina da Madragoa,
De saia garrida, chinela no pé
Corre, meia Lisboa
Mas é no seu bairro
Que o Fado entoa.

Varina de alma cheia, vai cantando
Como de um pregão, se tratasse
Canta com alegria
As amarguras do seu fado.

Com o seu ar imponente
Do alto da sua canastra
Varina da Madragoa
Mostra a toda a gente,
Como se canta e sente o Fado.

No Bairro das Varinas
O fado é devoção
Num fado que é de Lisboa
E das Varinas com emoção.


Este poema é dedicado á minha avó materna Maria do Céu que foi varina no Bairro da Madragoa, viveu na Calçada de Castelo Picão nº. 11 perto do Convento das Madres


Autor: Alberto Silva 20/1/2007

Sem comentários: